Regras para cuidar e preservar o equipamento

1 - Se não for utilizar o kite proteja-o do sol.

Com o tempo os raios solares enfraquecem o tecido e as costuras. Sob o sol muito quente, algumas partes do kite são coladas e cozidas e se ficar ao sol durante algum tempo podem descolar, especialmente se forem kites pretos ou cor escuras (absorve mais calor). As bexigas (câmaras de ar) com muito sol, ficam com muita pressão e podem rebentarem.

 

2 - Após o uso do material em água salgada, lave sempre a barra, o arnês, o fato e se possível a prancha, com água doce e deixe secar o material à sombra. Se o kite caiu na água convém também passar uma toalha molhada para tirar o sal e a areia.

 

3 - Na praia evite a entrada de água e areia pelas válvulas (pipos) das longarinas, mantendo-as sempre fechadas. Quando arruma o kite abra as válvulas para que as “bocas” das mesmas não fiquem largas.

 

4 - Antes de voar o kite certifique-se que as linhas de voo não têm nós. Os nós enfraquecem as linhas e podem-nas romper mais facilmente.

 

5 - Sempre que parar de voar o kite, enrole as linhas na barra e para que não estorve os outros riders.

 

6 - Se o kite rasgar, interrompa o voo imediatamente e arranje o furo/rasgo. Caso contrário, o rasgo irá aumentar, inutilizando o kite.

 

7 - Pancadas fortes com o kite no chão ou na água causam o rebentamento das bexigas e rasgam o pano do kite.

Se a queda do kite for inevitável, solte a barra do arnês e largue-a para que o kite fique apenas preso pela linha da segurança para assim aliviar o impacto e não causar danos no material (sempre com o leash de segurança

preso ao arnês)

 

8 - Não guarde o kite molhado porque cria mofo e com o tempo deteriora-se e o tecido fica mais frágil.

 

Por: Duarte Coelho

NOTA: Todo este manual foi criado originalmente por Duarte Coelho

Informações \ Marcações

Email: kitesurfway@gmail.com

Tlm: (+351) 916 131 947


Nº Cédula de treinador IDP: 35234
Nº RNAAT: 393/2010
Nº de apolice OMT: 85/21393

fpkite logo.png