Como analisar um local para kite para navegação segura?

January 7, 2019

 

Como fazer uma análise e qual a atitude certa dum praticante de Kitesurf perante um novo local ou perante o mesmo local com um vento diferente do habitual e como analisar as condições para uma prática segura.

 

1º - Saber ler as tabelas de previsões do windguru ou outro site similar (windy, windfinder), para ver qual a direção do vento que vai estar na praia que pretendes navegar. Podes fazer kitesurf desde que seja com o vento a vir de mar para terra e sem passar por obstáculos. Não podes andar com vento de terra para mar, pois podes não conseguir voltar.

 

2º - No mapa do GoogleMaps fazes zoom para a praia que pretendes fazer, visualizar ou colocas mentalmente a seta do vento da tabela do windguru, em cima da praia em questão e é essa direção que vai estar na praia caso a previsão esteja certa.

 

3º - Observar e verificar se não há correntes laterais fortes. Por exemplo na Foz de um rio, podes observar a direção da água (se está maré baixa ou maré alta) e por vezes se houver vento forte, este pode-se confundir com a direção da corrente se forem em direções diferentes. Uma forma boa de ver qual é a direção da corrente da água é mandar um tronco ou ramo/cana para dentro de água e ver para onde é que ele vai.

Depois se a corrente for forte deves ver o seguinte:

Se eu for levado pela corrente ou parar onde? a um sitio seguro ou a um sitio perigoso. Se for perigoso aconselho a rejeitar o local, não entres, porque se o kite cair na agua vais para o tal sitio perigoso que pode ter rochas ou barcos a passar ou simplesmente ficares muito longe da costa e não conseguires voltar a nado. Por exemplo quando a maré está a baixar é perigoso fazer kite na foz dos rios e se estiver a maré a subir também pode ser perigoso pois podes ir para o meio do canal com os barcos grandes e pequenos estão a passar.

Caso o vento esteja na mesma direção que a corrente, evita entrar, pois caso a corrente seja forte não vais conseguir sentir resistência da água na prancha e torna-se muito difícil e ás vezes impossível navegar ou subir ao vento, caso a corrente e o vento tenham a mesma velocidade.

 

4º - Verificar se existem agueiros (caso haja ondas é quase certo que existem agueiros e quando maiores são as ondas mais fortes são os agueiros)

As correntes feitas pelas ondas chamadas "agueiros" são diferentes das correntes oceânicas ou das correntes de maré, porque são mais curtas, têm um local muito especifico, mas também podem ser muito perigosas se as contrariares e se fores levado para locais perigosos com rochas ou zonas com ondas grandes a rebentar. Se fores apanhado por um agueiro deves nadar perpendicularmente à corrente, ou sejam paralelamente á linha da praia para sair da corrente e só depois nadar para a costa.

Um kitesurfista também deve estar á vontade nas ondas, deves saber mergulhar por baixo delas se for preciso.

 

5º - Rochas a sotavento (downwind) do local de prática.

As rochas subaquáticas podem ser tão ou mais perigosas como as de superfície porque podes estar a navegar ou aterrar de um salto e chocar com uma rocha que está debaixo de água. Caso não vejas rochas na superfície, deves observar o comportamento da água na área que vais navegar para ver se há remoinhos ou ondas que quebram em zonas que supostamente não deviam quebrar, quer dizer que o fundo está mais alto ou tem areia ou tem rocha que faz quebrar a onda.

Tenta falar com uma pessoa que conheça bem o local e que faça surf ou kite, para poder explicar-te quais os perigos que possam haver dentro de água, pode ser uma preciosa ajuda.

 

6º - Limites da área de navegação

Caso a praia seja curta ou tenha rochas pelo meio ou nos seus limites tenha rochas ou outros obstáculos, e que haja hipótese de ires parar a um sitio perigoso, se te afastares a uma certa distância e se deixares cair o kite, como é que podes ver isto antes de ires navegar, sem ter de correr o risco? Deves então saber definir a tua área segura de navegação:

- Tiras uma linha paralela ao vento que passa nos limites da praia (caso a praia não tenha rochas ou obstáculos pelo meio) dum lado e noutro e a tua área de navegação deve ser entre essas duas linhas, porque caso não seja, podes sair fora do limite seguro e ir parar ás rochas e mesmo que seja entre as duas linhas tens de ter em conta as correntes caso as haja e ai a distancia das linhas tem de ser menor ou maior consoante a direção das correntes.

 

7º - Definir a qualidade do vento

O vento deve estar sempre com a mesma direção e deve ser constante (mesma velocidade) ou variar pouco de forma a que o kite não deixe de fazer força nem comece a fazer demasiada força e isso também depende da escolha do kite e da prancha porque um kite pequeno para o vento que estiver ainda faz menos força caso o vento diminua de velocidade. Uma prancha pequena afunda muito mais com variações negativas de vento em relação a uma prancha maior e dificulta muito as bolinas. Então recomendo sempre pranchas mais para o grande do que para o pequeno.

 

Deves então quando chegas a um spot, sentir o vento na cara e observar o vento durante o mínimo 5 minutos e só depois e caso o vento esteja estável, deves colocar o kite no ar e se o local assim permitir voar o kite durante 2 ou 3 minutos no mesmo local, com o kite perto dos 45 graus (angulo entre as linhas e o horizonte) para ver se o vento continua bom, sem rajadas fortes e sem variação de direção, sempre com a presença de espirito para puxar a segurança caso o vento mude de força ou direção.

 

Caso tenhas dúvidas comunica, estou disponível para tirar dúvidas.

Abraço,

Duarte

Please reload

Recent Posts
Please reload

Follow Us
  • Facebook Classic

Informações \ Marcações

Email: kitesurfway@gmail.com

Tlm: (+351) 916 131 947


Nº Cédula de treinador IDP: 35234
Nº RNAAT: 393/2010
Nº de apolice OMT: 85/21393

fpkite logo.png