Silvia Ventura - Enfermeira

 

Fazer o curso de Kite na Kitesurfway foi uma conquista de objetivos que por várias vezes pareceram impossiveis de alcançar, sempre por mim, pelas minhas limitaçoes de tempo para praticar, e pelas limitações de capacidade mental para apreciar tanto assim o vento forte.... mas ai é que a Kitesurfway fez a sua diferença, pela forte componente pedagógica do seu mentor, que por palavras intervenções e ensinamentos tão certos, tão explicitos, foi contribuindo para que cada etapa tenha sido ganha, a seu tempo e que agora cada vez mais me sinta a ser mais uma kiter.

Há um novo aspeto da Kitesurfway extremamente interessante e que mais valoriza ainda a dinamica desta escola: os seus videos, super esclarecedores, que nos fazem ter uma sessão de kite no conforto do lar, mas a visualizar em pleno o conteudo e a informação transmitida por esses super mini videos .

Obrigada Kitesurfway

 

Paulo Gomes - Gerente de Loja na Padaria Portuguesa - Aluno de 2015

 

Quando decidi iniciar-me nesta atividade não conhecia ninguém que praticasse Kitesurf, logo, não fazia a mínima ideia de qual seria a melhor escolha para tirar o curso, foi aquilo que se pode chamar "um tiro no escuro". 

Após pesquisar vários sites escolhi a Kitesurfway porque é, na minha opinião, a escola que dispõe do site mais completo em termos de informação, não só relativamente ao curso em si, bem como dispõe muita informação sobre todo o material e tudo o resto que diz respeito a este desporto. Foi toda essa informação disponível que me deu toda a confiança para escolher a Kitesurfway.

O Duarte Coelho tem um conhecimento profundo e uma larga experiência sobre o Kitesurf e tem também uma grande capacidade de transmissão dos seus conhecimentos. Ele é muito mais que um simples instrutor, é um verdadeiro amigo com quem podemos contar e que vai muito para além do término do curso.

Desde que o Duarte esteja na praia podemos contar sempre com ele, pois ele está sempre disponível para esclarecer dúvidas e constantemente a incentivar-nos no sentido de melhorarmos a nossa técnica.

Depois do curso, o Duarte Coelho além de bom conselheiro relativamente ao material a adquirir, ele consegue sempre arranjar equipamento, quer seja material novo, bem como equipamento usado e mais barato, para quem tem menos disponibilidade financeira. 

Se eu estava entusiasmado quando iniciei o meu curso, foi o Duarte o grande responsável pelo Kitesurf se ter tornado uma grande paixão para mim. 

 

Ronald Silva - Médico

 

Quando decidi iniciar a prática de Kitesurf não tinha experiência nenhuma de desportos aquáticos com prancha. Após procurar vários locais para tirar o curso e ouvir várias opiniões resolvi tirar na Kitesurfway. Para além da dedicação, persistência, saber estar e o "saber saber", que faz com que qualquer aluno progrida e se sinta preparado para "arriscar", há uma coisa que destaco do Duarte Coelho (a.k.a KiteMan): a sua total disponibilidade e honestidade. Foi na Kitesurfway (entenda-se com o Duarte) que iniciei a minha actividade no Kitesurf e recomendo a qualquer pessoa esta escola para inicio ou progressão na mesma.

 

Aluno de 2015

 

Aluno: Carlos Conde


Kitesurfway - o que achaste do curso em geral?
 

Carlos - Gostei do curso. Existe um cruzamento entre a teoria e a prática, ou seja, para além do professor fornecer um manual onde explica muito bem toda a teoria do vento e do kitesurf, depois existe a componente prática com exercícios e simulações. O curso também obedeceu a todas as regras de segurança, sendo que os alunos, usaram colete e capacete. O professor responde às questões do aluno mesmo que estas sejam feitas mais do que uma vez. Nunca houve muitos alunos em simultâneo. O professor, principalmente no 3.º nível, vai para a água com o aluno, tentando posicioná-lo correctamente e dar uma "forcinha" para que o water-start aconteca.



Kitesurfway - o que sentiste quando realmente começas-te a navegar?
 

Carlos - Acho que é uma janela que se abre e a partir daí nunca mais somos os mesmos. A primeira vez que se navega traz um sentimento inesquecivel de liberdade, felicidade e realização pessoal. Quando se começa a navegar, ficamos com a sensação que valeu muita a pena sermos persistentes e que agora também conseguimos fazer aquilo que apenas viamos os outros a fazer.
 

Kitesurfway - Qual foi a sensação que tiveste quando começas-te a dominar o kite no ar?
 

Carlos - Acho que nos dá mais confiânça sabermos que conseguimos manobrar o kite de forma a efectuarmos correctamente a técnica da remada em oito, colocar o kite aos 45.º do lado esquerdo ou direito da janela de vento e colocá-lo de forma a baixar o kite num dos lados da janela. No entanto, e para mim, o momento mais alto de todo o curso é quando começamos realmente a navegar e a conseguir mantermo-nos em pé em cima da prancha.

 

Data: 2013

 

Aluna: Anabela Mesquita

Kitesurfway - o que achaste do curso em geral?
Anabela - Bom começo, bom meio e bom fim ou seja, bem estruturado. Senti igualmente muita segurança por perceber que o professor sabia perfeitamente o que estava a fazer.



Kitesurfway - o que sentiste quando realmente começas-te a navegar?
Anabela - Realização, gratidão e compensação pelas horas que passei a aprender e a sentir-me frustrada por não levantar voo logo à primeira vez:)))
 
Kitesurfway - Qual foi a sensação que tiveste quando começas-te a dominar o kite no ar?
Anabela - Dominar, (de uma forma muito lata, claro :)), fez-me sentir que tinha feito a aposta certa em finalmente avançar para o curso. A liberdade que se sente quando levantamos a nossa asa e nos lançamos no mar é uma sensação de comunhão com o vento e com o céu e isso só pode fazer-nos felizes.

Kitesurfway - mais alguma observação?
Anabela - Se voltasse a fazer o curso, seria na mesma escola

 

Aluna: : Mariana Anjos

Kitesurfway - O que achaste e sentiste durante o curso?
Mariana - Adorei o curso. cada fase é um desafio. É um curso muito completo, desde o primeiro nivel até ao ultimo, com um acompanhamento muito atento da parte do professor e que se adapta às exigencias e necessidades de cada pessoa.
Kitesurfway - o que sentiste quando realmente começas-te a navegar?
Mariana - Quando realmente começei a navegar pude sentir melhor a sensação de deslizar na água, sentir o vento e cada vez começar a aproveitar mais esses momentos... tirar partido do desporto sem ter de pensar nos pormenores mais técnicos.
A sensação é muito boa e é como um vicio aliciante pois quanto mais se faz mais se gosta de fazer!! Entra-se na agua e esquece-se dos resto do mundo! :)
Kitesurfway - Qual foi a sensação que tiveste quando começas-te a dominar o kite no ar?
Mariana - Quando se consegue dominar o kite no ar, a pessoa fica mais livre para pensar noutros aspectos como a manipulação da prancha, a entrada no mar, as ondas, e o "start"... Para mim, é o mais essencial do curso é ter confiança no kite e conhecer as suas respostas aos nossos "pedidos"...

 

Data: 2013

 

Diogo Cerqueira - 37 anos e 16 de Kitesurf.

 

Comecei a fazer Kitesurf em 2001, nessa altura além deste desporto estar nos seus primórdios não existiam escolas ou sequer gente com experiência. Faço parte da velha escola dos C's sem depower e seguranças  na barra eram um mito urbano. Pouco depois de começar sozinho e sofrer alguns acidentes conheci o Duarte. Na altura atleta patrocinado e dos poucos que sabia o que fazia. Apesar de sermos concorrentes diretos na promoção de marcas de kites, uma amizade nasceu e foi o Duarte que me foi dando algumas "dicas" que me fizeram rapidamente evoluir. Eram outros tempos, onde os kites sofriam mutações e as barras iam evoluindo todos os dias. Fosse com alterações que íamos fazendo ou mesmo as marcas que tentavam nos criar maneiras de não nos aleijarmos seriamente. 

 

Com a evolução que tive acabei por auxiliar o Duarte a ministrar aulas na praia, como vos dizia isto foi a muito tempo. Não existia legislação, associações, seguros nada. Entretanto devido ao rápido desenvolvimento e adesão foi criada a saudosa APKITE. Regras foram criadas, seguros para associados e começamos a ter condições e uma praia para fazer Kite. Foi tambem nesta altura que apareceram os primeiros cursos para instrutores de Kitesurf certificados que o Duarte foi fazendo ao longo dos anos, mantendo-se sempre actualizado nas técnicas de ensino e prática.

 

Infelizmente por motivos pessoais abandonei a modalidade em 2007, logo quando estavam aparecer os primeiros Híbridos e BOW's. A amizade manteve-se e em 2011 fui ter com o Duarte à Fonte da Telha, ele insiste que eu experimente um Kite e assim foi.

 

Graças à evolução estrondosa do material, e como dizem quem sabe nunca esquece, demorei 5 minutos a fazer o meu primeiro bordo, até hoje não parei de fazer bordos. Graças ao Duarte regressei a uma das minhas paixões.

 

 Assisto constantemente ao Duarte a dar apoio a alunos, ex-alunos, amigos, desconhecidos em dificuldade, a qualquer pessoa que precise. Sempre disponível e com a sabedoria e paciência de quem já voa há muito tempo, de quem já ensinou muita gente.

 

Seja material, condições de vento, reabilitação física ele tem esse saber, experiência e formação certificada duvidas houvessem.

 

O meu amigo Duarte é maior que a soma de todas partes, mas em vez de vos tomar mais tempo desafio-vos a virem ter com ele á praia, façam um baptismo de Kite ou simplesmente apareçam para dois dedos de conversa.

 

O Kite apresentou-me o Duarte, o tempo trouxe-me um amigo que é também meu Mestre.

 

Filipe Mohr -  41 Anos e 1,5 anos de kite

A minha experiencia com a Kitesurfway começou em Agosto 2014…

…Nesse verão cada vez que entrava a nortada de final de tarde todos os banhistas começavam a levantar a trouxas para fugir, eu observava curioso um “bando de papagaios” que começava a invadir o mar.

Despertou-me a curiosidade e, sendo surfista há muitos anos, sempre procurei desportos com uma ligação ao mar… o meu irmão aconselhou-me (por já ter tido aulas com o Duarte) a ir tirar o curso…e assim foi, no final de Agosto estava na fonte da telha para ter a minha primeira aula.

 O que lá encontrei foi muito mais do que umas aulas para saber fazer algo ...encontrei segurança , sabedoria técnica , simpatia , companheirismo …uma comunidade.

Seguiram-se as aulas praticamente até Dezembro 2014 sempre com lindos Sunsets e momentos divertidos.

Escusado seja dizer que fiquei “agarrado” no momento em que começamos a dominar a força do vento percebe-se que kitesurf é um desporto impar…e no inico do verão 2015 já tinha terminado as minhas aulas.

Ainda com a insegurança normal de um beginer encontrei no Duarte sempre um apoio e o espirito de companheirismo, com dicas técnicas e palavras de incentivo e muita risada à mistura acabei o verão autoconfiante e autónomo.

No final de 2015 já me aventurava mar adentro e experimentando uns pequenos “voos” na Lagoa.

A minha experiência com o Duarte não poderia ter sido mais positiva resultou numa nova paixão desportiva e encontrei um grupo de pessoas espetaculares.

 

Quem quiser dar uma vista de olhos aqui fica

https://www.youtube.com/watch?v=BmKtN-9QfcE

Carla Fernandes

 

Se vos disser que nunca tive aulas com o Duarte se calhar acham estranho este testemunho.

Porém, considerei apropriado dizer umas palavras na medida em que já partilhei muitos dias 

de praia, sol e vento com o Duarte, enquanto acompanhava o meu cúmplice (Diogo Cerqueira) 

até às praias da Fonte da Telha e Lagoa de Albufeira. 

Pois bem, se por um lado não tenho qualquer interesse na modalidade em si, tenho todo o 

interesse naquilo que a mesma representa para as pessoas à minha volta. O Diogo voltou a 

fazer Kitesurf após vários anos de ausência e eu estava lá no dia desse regresso: por um lado, 

foi um reencontro entre o Diogo e o Duarte; por outro lado, foi um reencontro com uma 

grande paixão (Kite)! 

A verdade é que somos todos alunos e professores uns dos outros, às vezes de forma mais 

direta e outras vezes de forma tão indireta que é quase impercetível. Gosto de fazer este 

exercício com tudo à minha volta: o que aprendi com esta pessoa, com esta experiência? 

 

Neste sentido, sou aluna do Duarte e gostaria de lhe agradecer pelos seguintes ensinamentos:

 

- Apesar de não temos asas, conseguimos voar (o kite representa um sonho, um superpoder);

- Por mais alto que se voe, há sempre um momento em que temos de aterrar e lidar com a realidade;

- O facto de sabermos que iremos cair não nos impede de tentarmos voar, e esses breves momentos fazem a queda valer a pena!

Para os mais pragmáticos, pouco preocupados com a filosofia da coisa, posso também testemunhar o que tenho visto ao longo destes anos: o Duarte é um instrutor paciente, experiente e competente, que transmite segurança aos seus alunos e vontade de voltar! 

Quando queremos aprender a fazer uma coisa bem, porque não aprender com os melhores? E o melhor não é só aquele que faz bem alguma coisa, é também aquele que sabe que errar faz parte da aprendizagem de quem está a aprender!

 

Para finalizar, se me pedissem para apenas numa frase caraterizar o Duarte, diria:

“Aquele que te leva numa viagem pelos 4 elementos: terra, água e ar… quanto ao fogo 

(paixão), esse elemento cabe-te a ti trazer!”

 

Abril 2016

testemunhos

Informações \ Marcações

Email: kitesurfway@gmail.com

Tlm: (+351) 916 131 947


Nº Cédula de treinador IDP: 35234
Nº RNAAT: 393/2010
Nº de apolice OMT: 85/21393

fpkite logo.png